Blog do Hollander :: RoR de leigo para leigos

23 maio, 2008

Dicas rápidas de RADRails III – Aba Generators

Filed under: Ruby / Rails — Tags: — hollanderramos @ 22:37

Continuando a série de dicas sobre o RADRails, a abordagem agora é sobre a aba Generators. Esta opção serve para gerar um “esqueleto” selecionando o modo create ou apagar os arquivos criados selecionando o modo destroy pelo Rails.

No campo Generator, as possibilidades de seleção são:

controller – Cria o controle passado como parâmetro.

integration_test – Cria um teste de integração. O arquivo deve começar com maiúsculas ou underscore (_) e não pode começar com a palavra Test.

mailer – Cria um modelo para formulário de envio de e-mail.

migration – Cria um arquivo para migração de banco de dados.

model – Cria uma classe de modelo que será utilizada para comunicação com o BD.

observer – Cria um modelo e um arquivo para testes. Um observer serve para monitorar a vida de um evento de um modelo sem ter que – para isso – criar a lógica dentro do próprio modelo. Confuso não? 🙂

plugin – Serve para criar um plugin que acrescenta funcionalidades a outros projetos.

scaffold – Um dos recursos mais poderosos (porém não completo) do Rails. Cria automaticamente um modelo, controle e visão sobre uma tabela do BD, deixando pronto ao uso. Útil para ganhar produtividade, porém não muito flexível para personalização.

Opções: (entre parênteses a opção em linha de comando)

Pretend (-p ou –pretend) – Executa o script, mas não faz nenhuma mudança. Bom para verificar erros de sintaxe.

Force (-f ou –force) – Sobrepõe arquivos que já tenham sido anteriormente criados.

Skip (-s ou –skip) – Preserva arquivos que já tenham sido anteriormente criados.

Quiet (-q ou –quiet) – Omite a saída dos comandos no console

Backtrace (-t ou –backtrace) – Utilizado para depuração

Use SVN (-c ou –svn) – Modifica os arquivos com o Subversion

16 maio, 2008

Dicas rápidas de RADRails II – Aba Servers

Filed under: Ruby / Rails — Tags: — hollanderramos @ 21:11

Continuando as dicas sobre RadRails 1.0, vamos discorrer a respeito da guia servers.

A guia exibe uma lista dos servidores que estão em serviço. A alternativa via menu para esta aba é:
Window > Show View > Other…, após abrir a janela Show View, selecione Aptana Standard Views e finalmente Servers.

Normalmente para cada projeto criado, um servidor estará listado. A grade contém os campos:

  • Name – Nome do servidor
  • Status – Indica se o servidor está parado (stopping) ou rodando (running)
  • Description – Descrição do servidor.
  • Type – Tipo do servidor
  • Host – Endereço IP sob a qual o servidor estará rodando.
  • Port – Porta de serviço

Para editar os parâmetros de um servidor, dê um duplo clique sobre a opção. O servidor deverá ser parado (stopping) antes de ser alterado. E o que pode ser alterado? Esta opção varia de acordo com o servidor. No caso de um servidor Rails, são apresentados os seguintes parâmetros:

  • O nome do servidor;
  • O seu tipo quando o servidor instalado assim permitir, exemplo Rails permite: WEBRick, Mongrel ou LighTPD;
  • O endereço IP do host;
  • A porta;
  • E o ambiente (Desenvolvimento, Produção ou testes).

A barra de ferramentas possui as demais opções (que também pode ser acessada via botão direito do mouse):

Add Server – Permite adicionar e configurar um novo servidor através da lista de opções exibidas:

  • Apache Server – Configura um servidor web Apache.
  • Internal Jetty Server – Configura um servidor web baseado em Java.
  • Jaxer Server / Package Server – Configura um servidor web capaz de reconhecer instruções AJAX tanto do lado cliente como do lado servidor.
  • MySQL Server – Adiciona um servidor de Banco de Dados MySQL
  • Rails Server – Um dos servidores do RoR.
  • XAMPP Server – Distribuição que contempla um servidor Apache, MySQL, PHP e Pearl em um único pacote.

Start Server – Põe o servidor para rodar (running mode)

Start Server in Debug Mode – Põe o servidor para rodar em modo de depuração de erros.

Restart Server – Aplicado apenas para servidores já iniciados, encerra o serviço e ativa-o novamente.

Pause Server – Interrompe temporariamente o servidor.

Stop Server – Encerra o servidor de modo definitivo.

Open Console Shell – Abre a aba de console contendo informações sobre o atual serviço.

Open Log – Abre os arquivos de registro sobre o andamento do servidor.

View Statistics – Exibe dados relativos a estatística do servidor. As estatísticas não estão disponíveis para todos os tipos de servidor.

29 abril, 2008

Dicas rápidas de RADRails I – Novo Projeto

Filed under: Ruby / Rails — Tags: — hollanderramos @ 22:06

Como dito aqui RADRails é uma excelente IDE de desenvolvimento para RoR (Ruby on Rails). Nesta pequena série de artigos eu vou explicar rapidamente alguns dos comandos básicos desta ferramenta.

Vamos começar a série com os comandos para criar um novo projeto.

Utilize o menu: File > New > Project e abra a pasta Rails. Selecione a opção RailsProject e clique no botão Next.
Atalho: Pressione simultaneamente as teclas ALT+SHIFT+N, depois tecle R.

Na nova tela que abriu, digite o nome do seu projeto no campo Project Name. Você pode definir a localização para armazenamento do projeto ou optar pela localização padrão. Para tanto selecione o campo Use default location. O campo só é editável quando a localização padrão não está selecionada.

No grupo options (opções), mantenha a opção Generate Rails application skeleton habilitada. Habilitado toda a estrutura de pastas e arquivos serão automaticamente criados.

Selecione o tipo database (banco de dados) que você está trabalhando e o Rails version (versão do Rails) para desenvolvimento. Salvo rara exceção, a opção latest é a escolha.

Create a WEBrick server e/ou Mongrel server estas opções servem para ativar a criação do servidor host da aplicação. WEBrick é o servidor padrão que vem junto com o Ruby. É uma boa opção quando em fase de testes e desenvolvimento da aplicação. Já o Mongrel possui maior performance sendo escrito em Ruby e desenvolvido para o Rails. É a melhor opção para produção.
Selecione a opção Automatic start server after project is created para ativar o servidor assim que o projeto for criado. Caso contrário, você terá que iniciar manualmente.
Disable table pluralization desativa a convenção de pluralização dos métodos. Para saber como a pluralização trabalha veja o post sobre este assunto. Clique no botão next para completar a criação do projeto.

Para abrir a perspectiva de desenvolvimento em Rails, selecione no menu:

Window, Open Pespective, Other… selecionando RadRails na janela que foi exibida.

Por hoje é só. No próximo artigo vamos conhecer as guias Servers, Generators, Rake Tasks e Console.

21 abril, 2008

RadRails

Filed under: Ruby / Rails — Tags:, , — hollanderramos @ 13:00

IDE Radrails

RadRails é uma ferramenta IDE (Integrated Development Enviroment) com base em Eclipse que pode ser customizada para o desenvolvimento de aplicações em Rails. É uma ferramenta complexa, mas que pode facilitar muito o aprendizado, principalmente se você já está familiarizado com o desenvolvimento por IDE.

A ferramenta pode ser baixada em www.radrails.org.

Blog no WordPress.com.